Vendedora de picolé dá lição de moral em ministra dos direitos humanos

0
269

Vendedora de picolé por vender sorvetes e picolés nas ruas dá lição de moral na ministra dos Direitos Humanos. Com apenas 22 anos e dona de uma beleza cinematográfica ela encontrou nas ruas a possibilidade de ajudar a família.

Bruna Atanazio estava em mais um dia de trabalho como vendedora de picolé. Um dia triste pois estava há muito tempo sem conseguir vender um picolé. Na rua duas meninas de sua idade a viram empurrando um carrinho de picolés no sol quente e começaram a rir de sua situação. Debocharam da jovem que se esforçava para empurrar o carrinho pesado. Bruna sentiu-se humilhada. Pensou em desistir, mas seguiu em frente e ao final do dia fez uma postagem em seu Facebook que gerou até comparações com a ministra dos Direitos Humanos.

A postagem obteve até o momento desta matéria mais de 124 mil curtidas e 16.700 compartilhamentos. Conheça a mensagem de Bruna.

“ontem eu vendendo picolé .. passou duas meninas de biz vermelha me zoando, confesso que fiquei mal, com muita vergonha .. e que nos primeiros cinco minutos quase voltei correndo pra casa, seja vcs quem for gostaria de dizer que no fim do dia eu tinha meus $74 reais muito suado e honesto, sem precisar fazer qualquer tipo de coisa errada… então é isso não ligo pra sua opinião só quero saber do dinheiro no meu bolso, por isso tô aqui postando essa foto e tenho muito orgulho de ser trabalhadora. #MeninaDoPicolé#DinheiroHonestoSempre “

Em sua página no Facebook, a jovem vendedora de picolé recebeu manifestações de apoio. “Quando vejo uma ministra que ganha 33 mil ao mês dizer que seu trabalho é escravo e perco a esperança nos brasileiros, vem a Bruna para restaurar minha fé de que ainda há esperança”, postou Alisson Cordeiro. “Obrigado, Bruna, por mostrar que os brasileiros na sua grande maioria são trabalhadores e pessoas de bem.” Ele se referia à ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, que havia pedido para acumular seus vencimentos no Ministério com sua aposentadoria como desembargadora para receber R$ 61 mil mensais, acima do teto constitucional de R$ 33,7 mil – em razão da repercussão negativa, ela acabou desistindo do pedido.

Bruna é uma linda menina como você pode ver nestas fotos publicadas em seu Facebook.

A “menina do picolé”, como já ficou conhecida, passou a ser cumprimentada pelas pessoas nas ruas. “Muita gente está vindo me cumprimentar, mas não fiz nada demais. Eu preciso do dinheiro que ganho com o meu trabalho, mas quero que seja sempre de forma honesta”, disse. Outros vendedores de sorvete fizeram questão de posar para fotos com a garota. “Eles são mais que meus concorrentes, são meus companheiros”, disse.

“Confesso que fiquei mal, com muita vergonha, e nos primeiros minutos quase voltei correndo para casa. Existem os engraçadinhos que passam pelas ruas e debocham do meu trabalho. É como se eu só pudesse ser admirada se já tivesse um diploma de faculdade. Quem debocha é minoria, mas às vezes são as pequenas coisas que ferem mais. Sejam vocês quem forem, gostaria de dizer que no fim do dia eu tinha meus R$74 no bolso, [dinheiro] muito suado e honesto”,.

Comentários

Comentários