Policial militar é flagrado se masturbando em frente a escola

0
287

Policial militar é flagrado se masturbando em frente a escola. Um homem identificado como policial militar foi flagrado se masturbando dentro de um carro em frente a uma escola particular de Vitória, nesta quinta-feira (17). O registro foi feito pela mãe de um aluno, que ficou revoltada com a situação e denunciou ele. A Polícia Militar abriu processo administrativo e afastou o PM do cargo.

“Ele destravou o carro, que estava do lado que eu estava encostada, entrou no carro, abaixou os vidros, pegou um jornal e começou a ler e perguntou se eu trabalhava ali perto. Eu respondi que não e não dei mais assunto. Foi quando eu ouvi tipo um som raspando a garganta, para chamar a atenção. E eu percebi que o que ele estava fazendo. Ele estava com o órgão genital para fora, se masturbando”, disse.

A mãe do aluno também tirou a foto da placa do carro e registrou um boletim de ocorrência.

“Passou na minha cabeça que ele pudesse estar fazendo uma criança passar por uma situação constrangedora e que está calada. A minha vontade naquele momento era fazer barraco. Gritar, partir para cima dele, bater nele, mas graças a Deus consegui manter a frieza. Eu falei que eu preciso provar isso. Eu puxei a câmera e comecei a fotografar ele. Ele viu que eu estava fotografando, ele acelerou o carro e saiu”, completou.

A escola fica em frente a uma Igreja católica e a poucos metros de uma delegacia e uma unidade da guarda municipal. As fotos tiradas pela mãe do aluno rapidamente circularam pelas redes sociais.

O homem foi identificado por policiais civis e militares do estado, que ficaram revoltados. Segundo os policiais, o homem flagrado pode ser um soldado da Polícia Militar capixaba.

A Polícia Civil informou que o caso está sob apuração no Distrito de Polícia de Jardim Camburi e que demais informações não serão passadas no momento.

Em nota, a Polícia Militar falou sobre o caso. “A Polícia Militar informa que recebeu, durante a madrugada desta sexta-feira (18), a notícia de que o autor do ato repulsivo seria um policial militar. Diante da gravidade das informações apresentadas, o Comando-Geral determinou, nesta manhã, a abertura de um processo administrativo disciplinar demissionário a fim de julgar a conduta atribuída ao militar, lotado no 8ª Batalhão (Colatina). A abertura do processo também estabelece o afastamento preventivo e imediato das funções públicas”, disse a nota.

Depois da divulgação das fotos do policial militar, uma vendedora ambulante disse que a filha dela já foi vítima dele em Colatina, no Noroeste do Espírito Santo.

Segundo a mulher, que preferiu não se identificar, ela registrou boletim de ocorrência e denunciou o caso ao Conselho da cidade.

“Ele começou a fazer sinal para ela da janela do prédio onde ele morava, e daí começou o contato. Fazia ronda na porta da escola, até que ele viu ela na porta da escola e começou a abordar ela, conversando, e fazendo a cabeça dela”, explicou.

De acordo com a mãe, a filha, na época com 12 anos, contou que manteve contato com o policial.

“Quando eu descobri, minha filha já estava com 12 anos. Quando eu interroguei ela, ela não me contou todos os detalhes, mas disse que tinha acontecidos coisas entre eles, que ela não tinha coragem de me falar”, contou.

Comentários

Comentários