Pastor é suspeito de ter assassinado o filho e o enteado em incêndio premeditado

0
573

Pastor é suspeito de ter assassinado o filho e o enteado em incêndio premeditado. A polícia pediu a prisão preventiva do pastor por suspeita de adulteração da cena do crime e manipulação de informações.

O Pastor Evangélico Georgeval Alves Gonçalves, de 36 anos, o Pastor George, iniciou as primeiras horas deste sábado (28) na 16ª Delegacia Regional de Linhares (DRL).

Na manhã do sábado anterior, George estava amparado por amigos em um culto, após o filho dele, Joaquim, de 3 anos, e do enteado Kauã, de 6, morrerem carbonizados enquanto dormiam no quarto da casa onde a família morava, no Centro de Linhares.

Segundo relato do próprio pastor em depoimento, ele não conseguiu abrir a porta do quarto onde estavam o filho e o enteado (embora tivesse tentado bastante) e acabou assistindo pelas câmeras de segurança do quarto das crianças elas morrerem em pânico e abraçadas.

Um detalhe chamou a atenção dos peritos da Polícia Civil. Ele foi ao culto de chinelos e com os pés enfaixados como se tivesse uma imensa queimadura nos dois pés. O exame de corpo delito mostrou que ele só tinha uma pequena queimadura em um dos pés. A queimadura era do tamanho de uma moeda de 10 centavos. Portanto, não requeria enfaixar os dois pés. Seria uma espécie de tentativa de causar comoção e levar a crer que ele tentou salvar os filhos.

Ao falar com a imprensa sobre como foram os últimos momentos com o filho e o enteado, o pastor disse que os levou a uma sorveteria horas antes da tragédia. A foto em destaque acima foi postada no perfil dele no Facebook, dois dias após o fato.

Nas redes sociais começam a vir a tona supostas acusações sobre o passado do pastor. A internauta Marília Oliveira se apresentou como alguém que conhece um passado oculto do pastor, segundo ela George vivia em São Paulo uma vida não-cristã e homossexual. Também teria deixado dívidas não-pagas.

 

Comentários

Comentários