Hetero Flex é o novo gênero nas baladas

0
800

Hetero Flex é o nome do novo gênero que está na moda nas baladas cariocas. Homens casados, com filhos, participantes na Igreja decidem “experimentar” como é ficar com outro homem em festas secretas onde os celulares ficam guardados a sete chaves para não vazar nenhum tipo de imagem. Será que seu marido/namorado é um Hetero Flex?

Quando um homem tem relações com pessoas do mesmo gênero e — eventualmente — também do sexo oposto, ele é bissexual, correto? Para alguns, nem sempre essa nomenclatura se enquadra. E assim surgiu o termo hétero flex. O tema é abordado no livro “Festa de orgias para homens”, do antropólogo niteroiense Victor Hugo Barreto.

O pesquisador, doutor em antropologia pela UFF, fez um mergulho etnográfico, por quatro anos, em festas na cidade do Rio onde homens que se identificam como heterossexuais mantêm relações entre si.

— Estudo a sexualidade há oito anos e acho bacana que as pessoas estejam experimentando. Mas percebo que, por mais que a prática nessas orgias seja homossexual, os homens não querem se identificar como gays. São heterossexuais flexíveis, mas também poderiam ser chamados de homossexuais flexíveis — observa Barreto.

Na pesquisa, Barreto identificou regras para homens participarem das orgias: precisam ter aparência máscula, ser discretos e “safados”:

— Um dos que entrevistei era um advogado carioca, da Zona Sul, 40 anos, casado e pai de dois filhos. Naquele dia, ele estava apressado, depois de participar de uma (orgia com homens) porque a sobrinha havia nascido e ele encontraria a mulher e as crianças. Assim é a realidade de tantos outros que frequentam esses ambientes.

Segundo o antropólogo, essas festas acontecem em saunas, clubes de swing e salas comerciais. São eventos secretos. Os homens têm que deixar celulares guardados e só entram nas salas de sunga, cueca ou pelados.

Será que seu marido/namorado é um Hetero Flex?

Comentários

Comentários