Foda-se o padrão de beleza

0
239

Foda-se o padrão de beleza. Você pode ser bem mais interessante na cama que a manequim sem graça da passarela. Talvez o que você mais odeia em você possa ser o seu diferencial que mais vai atrair a outra pessoa.

Olá! Este é o meu primeiro texto público e eu gostaria de falar sobre um assunto importante: Autoestima e Vida Sexual.

Desde que nascemos, somos bombardeadas diariamente com um padrão de beleza que, às vezes, não conseguimos alcançar. Desde menina, estamos expostas a todo tipo de publicidade voltada para nós e feita por nós, onde o recado dado, de forma explicita ou subliminar, é que devemos ter o corpo perfeito, o rosto bonito, o cabelo mais brilhante, os dentes brancos e alinhados, o xibiu na tonalidade certa…mas, e quando você não se enquadra na perfeição das capas de revistas?

Dizem que devemos nos amar do jeito que somos, aceitar nossos corpos e nossas imperfeições, e devemos mesmo, mas ninguém nos ensina como.  Então, a primeira coisa que devemos fazer é se perguntar: Eu estou satisfeita com o meu corpo? Se sim, ótimo! Você não precisa deste texto (mas leia, por favor, e me diga o que achou rs). Se não, pergunte-se: Quero/devo/preciso mudar? Se sim, você pode procurar programas de vida saudável, academias, nutricionistas, entre outros. Se não, ai sim, minha conversa é contigo.

O processo de “se amar” é longo e contínuo, tipo aqueles 12 passos do AA. Não tem receita milagrosa e cada pessoa descobre, com o tempo, o caminho que se sente mais confortável para percorrer, mas isso não quer dizer, que não possamos traçar algumas “etapas” e experimentar.

Primeira Dica: Pare de fugir do espelho. Lembre-se que “o que não é visto, não é lembrado” e no caso do seu corpo, fingir que não viu algo ao contrário de ajudar, atrapalha, porque você tende a não querer que o outro veja e quando isso acontece você se frustra.

Compre um espelho grande, daqueles que você consegue ver tudo, se ver por inteira. Faça contato visual com você. Ao primeiro contato,seus “defeitos” podem parecer horríveis, abomináveis e repulsivos, mas eles são seus, faça as pazes com eles, seja uma gordura (mal) localizada, uma estria, uma celulite, uma cicatriz, uma pele escura… Não importa, é seu, te pertence e deve ser valorizado, é único assim como você. Faça isso todos os dias e vá dizendo para você palavras de carinho e acolhimento. Repita o quanto você é bonita, mesmo que sua mente faça você recuar e dizer que não é verdade, mesmo que você não acredite, seja gentil com você, repita isso todos os dias. Olhe cada centímetro do seu corpo, cada pedacinho, se admire, toque seu corpo, sinta-se desejada. No primeiro dia vai ser estranho, mas não desista. No segundo, você vai se achar uma louca. No terceiro vai querer desistir. No quarto vai achar que a louca sou eu… mas persista. Como os passos do AA, “um dia de cada vez”. Quanto mais você se encarar e se acolher, mais a sua mente vai entender que você se ama e quando a sua mente entender isso, se olhar no espelho vai ser o seu primeiro prazer.

Segunda Dica: Não leve suas “imperfeições” pra cama.

Pronto, chegou a hora do figth! O boy tá lá, o clima tá quente, o momento tá favorável e você tá tipo como? Pensando na estria que você tem no popozão ou na tetinha que tá meio caidinha… Não se entrega, não vive o momento, tá perdida naquilo que talvez possa ser seu maior charme. A gente tem mania de achar que “ah, mas ele vai ver minha celulite”. E se vê? Vai mudar o quê? Pensa com titia, você veio aqui (aqui não, lá, no figth) pra quê? Repete assim antes (e durante) a transa: “Eu vim aqui pra gozar e sentir prazer e não vou sair daqui com menos que isso”. Repete de novo, mais uma vez, até você estar convencida disso. “Ah, mas e se…” Esquece o “e se…”,lembra-se da dica anterior? Você tem estria, você tem celulite, você viu, você fez as pazes com ela e o boy, na maioria das vezes nem viu e se viu, nem ligou, e se ligou, conversamos sobre isso em outro texto.

Terceira Dica: Esteja ciente das coisas que você curte.

Não adianta nada ser um puta mulherão bem resolvido, que se ama, que quer gozar e sentir prazer, se não sabe como fazer isso. Voltamos à primeira dica, se toque, descubra onde você gosta de ser tocada, esfregada, invadida, chupada, mordida… e onde não gosta. Fantasie, crie historinhas picantes na sua cabeça, fale putaria no ouvido do boy, pede pra ele te segurar firme, pede pra ele te dar uns tapinhas, mas o mais importante, faça aquilo que vocês (é vocês, prazer a dois tem que ser bom para os dois) gostam e querem. Não force algo que não queria ou não esteja preparada. A mulher que sabe o que quer, sabe o que merece receber.

Quarta (última e não menos importante) Dica: Pare de se comparar com as mina dos filmes pornôs.

E dai que ela engole tudo? E dai que a xota dela é rosa? E dai que ela aguente três? O que tá em jogo aqui é você e não ela. Respeite seu tempo e seu momento. Respeite seus gostos e vontades. Respeite sua essência e cobre respeito do outro também. Não adianta fazer algo para satisfazer o parceiro e passar o resto dos dias se achando a pior pessoa da face da terra. Não curte anal? Não faça. Não curte boquete? Não chupe. Tem curiosidade? Tente, experimente. Converse com o boy. Fale sobre suas dúvidas e preocupação, mas nunca se esqueça do principal: respeite os seus limites.

Dica Bônus: Goze bastante! Use camisinha! Beba água (hidratação é fundamental). Seja feliz!

Até logo,

#LauraMullerDaPeriferia

Comentários

Comentários