Cabeleireiro ensina como transformar humilhação em sucesso

0
199

Antony Oliver ensina como transformou humilhação em sucesso profissional e se tornou o cabeleireiro capixaba de maior repercussão nas redes sociais e na TV. Sua história de vida está se transformando em livro e filme.

Antony Oliver nasceu Antonio Oliveira, ou simplesmente Toninho. Ainda na adolescência rejeitou o apelido de Toninho. Segundo ele “não quero ser visto no diminutivo. Eu quero ser grande”. E assim aconteceu, ele se tornou Antony Oliver, o Cabeleireiro das Estrelas.

Mas nem tudo foram flores em sua vida. Desde os 5 anos de idade ajudou a família capinando fazendas e sítios. Sempre acompanhando seu pai. Aos 9 anos uma professora da escola primária o chamou de burro e disse que era para ele desistir de estudar porque ele seria um nada na vida. Se tivesse sorte iria puxar carroça. Aos 16 anos ele decide deixar o interior de Minas Gerais e partir em busca de sua Vitória no Espírito Santo.

Trabalhou como entregador de boletos de contas de abastecimento de água. Chegava a caminhar 37 quilômetros por dia. Com seu primeiro salário se matriculou em um curso de cabeleireiro e com o segundo salário comprou seu primeiro kit de atendimento. Já no terceiro mês começou a atender dentro de uma pequena pensão em que residia. Atendia apenas no domingo, seu único dia de folga. Ainda assim conquistou uma clientela fiel que se encantava com sua força de vontade, criatividade e competência.

Ao final de 1 ano de trabalho como entregador de boletos e cabeleireiro juntou R$ 6 mil reais e voltou a sua cidade para passar o Natal com sua família. A intenção era dar este dinheiro como presente aos seus pais, mas chegando lá soube que a professora que o humilhou estava doente. Na verdade muito doente, com um câncer grave. Ela precisava ser transportada por uma UTI móvel para Belo Horizonte. A prefeitura não tinha este equipamento e ela definharia até morrer. Ele pegou R$ 3 mil e pagou o transporte dela. Ela não se curou do câncer. Veio a morrer 3 meses depois e nunca soube quem pagou pelo tratamento que a fez ter os últimos dias de maneira menos dolorida.

Hoje Antony Oliver é dono de um dos salões mais freqüentados da Grande Vitória e está escrevendo um livro que vai inspirar muita gente a transformar humilhação em superação. Seguem aqui as 5 dicas mais poderosas de seu livro.

01 – Enquanto seu sonho for menor que a inveja de quem te rodeia sua vida continuará sendo guiado pela frustração dos incompetentes. Só quando nosso sonho é realidade em nossa mente que se deve começar a trabalhar por ele. Quando eu atendia no meu quarto de maneira improvisada já estava em minha mente o salão que tenho hoje. Atendia as pessoas com o máximo de respeito, carinho e atenção que elas mereciam. Eu já me via vencedor. Sabia que ali era só uma etapa que eu estava vivendo para aprender a ser grande.

02 – Faça pelo outro o que gostaria que te fizessem. Eu muitas vezes ajudei pessoas que se mostraram ingratas. Mas eu não fiz esperando gratidão delas. Eu fiz pelo sentimento bom que toma conta de mim quando ajudo alguém. Quando faço por alguém estou fazendo por mim mesmo. Estou me ajudando a ser uma pessoa melhor. Ser uma pessoa melhor é bom até para os negócios. As pessoas fazem mais negócios com quem confiam. Com quem se sentem a vontade. Faça o bem que ele volta pra você de alguma maneira.

03 – Aprenda a escutar pessoas. Boa parte das mulheres que procuram meu salão não querem apenas cortar o cabelo, querem ser ouvidas. Querem se sentir acolhidas e querem desabafar algo que não conseguem fazer com namorados, maridos e amigos. Querem um terapeuta informal. Neste momento o grande segredo é escutar sem julgamento tudo que elas dizem. Ser acolhedor e incentivador.

04 – O trabalho de um cabeleireiro não é cortar cabelos, é fazer as pessoas entrarem em conexão com sua autoestima. Fazer a pessoa olhar para o espelho e voltar a se amar. Sentir-se uma pessoa poderosa e atraente. Para isso precisamos conduzir a pessoa a este resgate de autoestima mostrando primeiro o que ela já tem de belo.

05 – Mostrar que seu trabalho tem um valor bem maior que o preço. Preço é quanto você cobra. Valor é quanto a pessoa acredita que vale. Uma pessoa só dá valor ao nosso trabalho quando ela é impactada pela qualidade de nosso atendimento e pelo resultado que entregamos. Isso é percebido pelo cliente desde o momento em que coloca o primeiro pé em nosso salão. Precisamos encantar da chegada até a saída. Amo quando transformo minha cliente no sábado e no domingo pela manhã ela me manda um whatsapp dizendo o quanto ela foi elogiada no evento que foi no sábado a noite.

Segue aqui um vídeo mostrando a tragetória deste vencedor.

Comentários

Comentários