Agressor de Bolsonaro vira ídolo nas redes sociais

0
416

Agressor de Bolsonaro vira ídolo nas redes sociais.  Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, está ganhando muitos fãs e declarações de apoio nas redes sociais. Já pedem inclusive que ele se candidate ao pleito eleitoral.

De acordo com a Polícia Militar, Adelio já havia sido preso em 2013 pelo crime de lesão corporal na cidade de Montes Claros, no Norte de Minas. Agora ele é o novo famosinho da internet, como podemos notar nestas declarações em seu Facebook.

No Twitter o agressor de Bolsonaro é tido como um novo Mito.

Adélio é contraditório. Ele apesar de fazer postagens de Esquerda faz também a defesa dos militares. Entre as últimas postagens, ele reproduziu gravação em que Bolsonaro e a também deputada Jandira Feghalli (PCdoB-RJ) debatem na TV sobre a ditadura militar. Oliveira comentou: “A ditadura deveria ter matado pelos uns 30 mil comunistas”.

Em uma das críticas mais recentes a Bolsonaro, ele posta um vídeo do candidato a deputado federal Alexandre Frota (PSL), ironizando o fato de Bolsonaro ter dito que o queria como Ministro da Cultura.

Adelio demonstra ter uma grande antipatia pela maçonaria e seus símbolos. Em uma recente postagem, ele divulga uma matéria sobre a simbologia maçônica e comenta “tantos simbolos indioatas (sic) e profanos para conduzir a vida humano, tolos!”.

Em seu perfil, o servente de pedreiro usou a seguinte frase para se definir: “Não importa em que partido tu militas, nem a ideologia que acreditas ou fé que tu praticas, se você tens (sic) prazer no triunfo da Justiça, então somos irmãos”.

Segundo policiais da PM em Juiz de Fora, Adelio disse, em depoimento, que não é ligado a qualquer partido político, e que agiu porque não “simpatiza” com o candidato. Logo após o ataque, policiais que faziam a segurança no local prenderam Adelio. Foi preciso conter a multidão que tentava linchar o agressor.

 

Comentários

Comentários